sexta-feira, 23 de março de 2012

22 de março - DIA DA ÁGUA



“Sou filha de Oxalá
Sou dos reinos de Oxum...
e de Iemanjá.
Na vida sou a fonte de energia,
Sou chuva,
cachoeira,
rio
e mar.
Sou gota de orvalho,
sou encanto...
Sou um dilúvio de felicidade.
E qualquer sede eu posso saciar...
Saiba que eu tô em todas,
eu tô no ar,
eu tô aí
Eu tô até na liquidez do abacaxi
E não quero nem saber
As águas vão rolar!!!”
 
Samba de enredo: “No chuê, chuê... No chuá, chuá! As águas vão rolar
Mocidade Independente de Padre Miguel - RJ




“A Terra é Azul!!!”

Exclama, emocionado, Yuri Gagarin, o astronauta que , pela primeira vez, vê a Terra do espaço, a bordo da nave espacial VOSTOK-1, em 12 de abril de 1.961. Momentos de emoção!




“A Terra é Azul!”

A frase correu o Planeta: virou manchete em revistas e jornais do mundo inteiro.
De onde vem esse azul?
Das águas...
Das muitas águas que fazem pulsar a vida!
Ah! Como são belas as nossas praias, as nossas cachoeiras, as nossas nascentes. São águas brotando no meio das matas, escorrendo por entre vales e montanhas, descendo por encostas e formando riachinhos, que se ajuntam, um a um, e formam os grandes rios, como o nosso belo Amazonas, o São Francisco,  o Jequitinhonha...
A Água é a seiva que por onde passa, alimenta e sustenta a vida que pulsa e depois vai desaguar nos mares e oceanos.
Que a emoção que o astronauta teve lá no espaço também pudesse ser experimentada por todos nós, sem precisar ir tão longe!
Mas é preciso lembrar que já se passaram 50 anos desde que Gagarin viu a TERRA AZUL.
Então nos perguntamos:
- Será que o Planeta ainda continua AZUL? Será que o Planeta Terra ainda tem SEIVA suficiente para alimentar e dar vida por onde passa? 
A água é um recurso natural vital para  a existência do homem e dos outros animais e também das plantas. Nosso contato com a água é feito desde os nossos primeiros dias de vida, e com ela convivemos diariamente! No entanto é necessário entender que ela é um recurso finito, isto é, limitado, que tem fim e pode acabar. Portanto, não tão abundante quanto possa parecer, por isso deve ser economizada.
Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), no século XX, o uso da água cresceu duas vezes mais que a população. Esse fato é preocupante!
É um alerta para a população sobre como se está utilizando a água.
Saibam que há, no planeta, água suficiente para todos os indivíduos, desde que tenha sua qualidade garantida e combatido o desperdício.
Muita gente acha que a água do Planeta Terra está se esgotando. Na verdade, não é bem isso. A quantidade de água na Terra continua a mesma,
há praticamente 3 bilhões de anos, passando por rios e mares, solos e ar e garantindo o desenvolvimento e a manutenção da vida. Mas os impactos humanos sobre os ecossistemas aquáticos acabaram diminuindo as condições naturais de circulação das águas.
Podemos afirmar que o modo de vida dos seres humanos interfere no ciclo da água.
Veja algumas situações que comprovam isso:
Sem a vegetação, o solo fica desprotegido contra a erosão que, assoreados (cheios de terra), provocam enchentes em época de chuvas. As raízes das plantas facilitam a infiltração das águas das chuvas no solo. Essas águas formam os lençóis freáticos (subterrâneos). Essas mesmas raízes absorvem a umidade do solo, que depois é evaporado, e volta para a atmosfera, podendo novamente virar nuvens de chuva. A queima de combustíveis fósseis (carvão e petróleo) aumenta o efeito estufa. Isto modifica o clima e o regime de chuvas. Os agroquímicos utilizados sem orientação técnica, em dias de muito vento ou chuva, são levados para o lençol d’água, rios e lagos. O recobrimento dos solos com asfalto, pedras e cimento nas cidades impede a infiltração das águas da chuva. O uso dos cursos d’água como depósitos de lixo e de esgotos sanitários além de contaminar as águas e atrair animais que provocam doenças é uma das principais causas das enchentes nas cidades. Pensando nisso e, no avanço tecnológico que cresce em ritmo acelerado é preciso tomar consciência do nosso papel na sociedade para INTERFERIR QUANDO PRECISO, de forma a não degradar nem destruir a vida.
A tecnologia criada por homens deve ser, em princípio, a favor da vida de todos os seres vivos e da dignidade humana.
Precisamos compreender que o PASSADO influi no PRESENTE e determina o FUTURO.
Nós somos responsáveis pelo futuro!

Gladiston


Nenhum comentário:

Postar um comentário