quarta-feira, 16 de maio de 2012

O LUGAR ONDE VIVO - Tema do poema da Olimpíada de Língua Portuguesa, desenvolvido pelos alunos do professor Gladiston, quinto ano 2010



A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro desenvolve ações de formação de professores com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. A Olimpíada tem caráter bienal e, em anos pares, realiza um concurso de produção de textos que premia as melhores produções de alunos de escolas públicas de todo o país. Na 3ª edição participam professores e alunos do 5º ano do Ensino Fundamental (EF) ao 3º ano do Ensino Médio (EM), nas categorias: Poema no 5º e 6º anos EF; Memórias no 7º e 8º anos EF; Crônica no 9º ano EF e 1º ano EM; Artigo de opinião no 2º e 3º anos EM. Nos anos ímpares, desenvolve ações de formação presencial e a distância, além da realização de estudos e pesquisas, elaboração e produção de recursos e materiais educativos.
Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro e uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Cenpec — Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária,  a Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro tem como parceiros na execução das ações o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Canal Futura.
A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro fundamentou-se na experiência do Programa Escrevendo o Futuro, desenvolvido pela Fundação Itaú Social e pelo Cenpec. Criado em 2002, o Programa constituía uma estratégia de mobilização dos professores por meio de um concurso de produção de textos, que teve três edições voltadas para professores de 4ª e 5ª série do Ensino Fundamental.
Em 2007, foi firmada parceria com o Ministério da Educação, o que possibilitou ampliar a abrangência das ações e a quantidade de anos escolares atendidos por essa iniciativa que passou a ser denominada Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, tendo sido incluída como uma ação do Plano de Desenvolvimento da Educação.
Em 2010, ano da 2ª edição da Olimpíada, inscreveram-se mais de 140 mil professores com uma estimativa de cerca de 7 milhões de alunos de 60 mil escolas públicas localizadas em quase todos os municípios do país (5.498).



CLASSIFICAÇÃO DOS POEMAS A NÍVEL DE ESCOLA
Escola Municipal Euplínia Magalhães Barbosa


Primeiro Lugar da Escola e Segundo Lugar do Município
Título: CIDADEZINHA
Autor: Felipe Alves da Silva



CIDADEZINHA

Cidadezinha...
Onde  posso brincar e estudar
Lugar  pequenininho
Onde  quero  ficar

Aqui  tem  muita  festa
Que  faz  todo mundo  sair do chão
Com amor e  alegria
E muita  paz no  coração

Tem arte  e  tem  cultura
Esporte  e  educação
Apoiados  pela  prefeitura
Envolvendo  a  população

Felisburgo  é  minha  cidade
Tenho  orgulho  em  dizer
A ti , a minha  poesia
Escrita  com  muito  prazer!

(Felipe Alves da silva)




Segundo Lugar da Escola
Título:O amanhecer de Felisburgo
Autor: Andrine Resende Rodrigues


O amanhecer em Felisburgo
 De manhazinha
O sol vem raiando
As rosas desabrochando
E pássaros cantam o alvorecer de meu lugar
Felisburgo é puro cheiro de terra exalando o amor

Vêm nuvens marolando
No céu de azul manhã
A lua se escondendo
Vem vento soprando na cabeceira da serra
E a aurora voando se encanta com a Pampulhinha.

Amanhecer de arco-íris
De borboletas multicoloridas
Que bailam suas brilhantes asas
Sinfonizadas pelo suave galo cantador de quintais dormidos.

E a cidade minúscula desperta
Primeiros passos são ouvidos
Agora, os latidos da madrugada foram calados
E do fogão da vizinha o cheiro do café matinal saúda o novo dia.
( Andrine Resende Rodrigues)


 Terceiro Lugar da classe
Título: A vida em Felisburgo
Autor: Laís Pereira Ramalho



A vida em Felisburgo

A vida em Felisburgo é uma jornada
De bons e maus momentos
Com dias de sol e dias nublados
Com sorrisos largos e lágrimas apertadas
Encontros e desencontros

Felisburgo, meu lugar
Diverso, disperso
É  motivo para pensar
Questão de sobrevivência
Num mundo adverso.

Terra de valores espirituais
Engolidos pela matéria
Que desencontra a si mesma
E se perde do outro

Longa é a jornada
Desafiador é o caminho torto
Vêm crises: maltratam
Se apresentam problemas: enervam

Tensões que cansam, que cantam
Que enfrentam, que encontram
Silêncio, meditar
Hora de pensar

O meu lugar é a terra da felicidade...

(Laís Pereira Ramalho) 


OFICINAS E ESTUDOS PREPARATÓRIOS DA TURMA DE GLADISTON







Para terminar
Alma Cabocla
(Paulo Setúbal)

E, na doçura que encerra
Esta simpleza daqui,
Viver de novo, na serra,
Entre as gentes desta terra,
A vida que eu já vivi...

 

Um comentário: